Ação da Eritropoetina

sem imagem

Eritropoetina é um hormônio glicoproteíco produzido preponderantemente pelos rins, cerca de 90% da eritropoetina é sintetizada pelos rins e os outros 10% são sintetizados pelo fígado. Também denominada como EPO, a eritropoetina humana é capaz de estimular certas células-mãe da medula óssea, com isto ocorre uma diferenciação de hemácias, células que participam do transporte de oxigênio para os tecidos do organismo.

Endogenamente falando, um processo conhecido hipoxia tecidual é o responsável por estimular a produção da eritropoetina e, consequentemente, de eritrócitos - glóbulos vermelhos do sangue. A hipoxia é caracterizada como um processo de não oxigenação do sangue, ou melhor, nível reduzido de oxigênio nos tecidos celulares.

A utilização da eritropoetina humana recombinante, a forma sintética e análoga à eritropoetina endógena, é empregada principalmente no tratamento/correção de quadros de anemia associados à insuficiência renal crônica.